Brasileira é acusada de ajudar a desovar corpo de namorado na FL

0
24

Por: Bernardo Zeymer Soares – O Departamento de Polícia de Plantation (FL) efetuou mais uma prisão depois que o corpo de um homem foi encontrado no interior de uma caçamba de lixo, no início de outubro. A brasileira Isabella Tagliarini, de 38 anos, é acusada de ajudar o ex-namorado, Eric Robinson, de 46 anos, a esconder o assassinato do atual namorado dela, Nicholis J. Wilcox, de 39 anos. Previamente, os três já compartilharam o mesmo apartamento. As informações são do canal de TV CBS Miami.

Na quinta-feira (5), Wilcox foi apunhalado e golpeado com um objeto até a morte no interior de um apartamento na N.W. 15th St., na cidade de Plantation (FL). O corpo da vítima foi descoberto no interior de uma caçamba de lixo atrás de um centro comercial movimentado, nas proximidades do cruzamento da Nob Hill Road e Cleary Blvd. Robinson foi preso no dia seguinte e acusado de homicídio.

Wilcox era natural de Connecticut, trabalhava na construção civil (roofing) e deixou 3 filhos, frutos de um relacionamento anterior, segundo o obituário postado no Norwich Bulletin.

A polícia detalhou que Isabella disse inicialmente que temia pela própria segurança e, portanto, teria obedecido as exigências de Robinson. Entretanto, os investigadores acreditam agora que ajudou de livre e espontânea vontade na remoção do corpo de Wilcox e na limpeza do local do crime.

O ex-marido de Isabella, Nicholas Tagliarini, telefonou para a polícia e informou que ela tinha admitido ter conhecimento do crime. A brasileira alegou que na noite de 5 de outubro, cerca de 2 e meia da madrugada, ela estava na cama com a vítima quando foi acordada por Robinson pondo a mão sobre sua boca e dizendo-lhe para ficar calada, segundo o boletim de ocorrência policial (BO). Logo após, Robinson teria golpeado repetidamente Wilcox com um pé de cabra (crowbar) no rosto e garganta, matando-o.

A brasileira acrescentou que o ex-namorado carregou o corpo da vítima até sua caminhonete e a obrigou a ajudar na desova. Ela disse que Robinson tomou o celular dela quando dirigiam a caminho do (pântano) Everglades, mas que ele não gostou do local, então, ambos procuraram outros lugares. Eles compraram material de limpeza, incluindo tínta para pintar as paredes do quarto onde ocorreu o homicídio, jogaram fora o colchão e outros objetos pertencentes a Wilcox.

Tagliarini alegou que Robinson disse-lhe que, caso alguém perguntasse sobre a vítima, ela deveria simplesmente que o namorado a deixou. A polícia escreveu no BO que Robinson tentou criar provas utilizando o aparelho celular da vítima para postar mensagens de texto indicando que ele havia ido embora. Os investigadores, entretanto, disseram que a versão de Isabella não os convenceu. Os agentes detalharam que a brasileira foi filmada por câmaras de segurança dirigindo o próprio Cadillac em companhia de Robinson, não na caminhonete dele, a caminho do shopping center onde o corpo foi desovado. Eles acrescentaram que os vídeos gravam os dois suspeitos de mãos dadas quando compravam os produtos de limpeza e ainda perguntou a Robinson se ele casaria com ela numa mensagem de texto. Os investigadores frisaram que Tagliarini estava de posse do próprio telefone durante essa interação.

A polícia detalhou que os três compartilhavam o mesmo apartamento antes de Robinson ser preso em agosto. Ele havia sido liberado na terça-feira (3) e tinha uma ordem judicial para manter a distância (protection order) de Tagliarini. Robinson é acusado de homicídio em 1º grau e Isabella é acusada de homicídio em 2º grau por ajudar no crime depois de ocorrido.

compartilhe:
  • Twitter
  • Facebook

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA