Volkswagen apresenta o Virtus, sedã compacto derivado do novo Polo que chega em janeiro

0
13

De São Paulo * – A Volkswagen apresentou, em avant première, o inédito Virtus. Por englobar a nova linguagem de design da marca, o sedã derivado do Polo chega com status de modelo global. Mas não e bem assim. Desenvolvido no Brasil, onde será produzido na planta de Anchieta, em São Paulo, o modelo não deve ultrapassar os limites da América Latina. Mas isso não é demérito. Assim como o hatch, o novo sedã surpreende pelo projeto moderno e linhas harmônicas.

São 4,48m de comprimento (42,5cm a mais em relação ao Polo), 1,75m de largura e 1,47m de altura. Como o que mais interessa em um novo sedã é a traseira, vamos a ela. A “queda” do teto é suave, deixando a traseira com linhas fluidas, suavizando as formas “musculosas” da dianteira e das laterais. As lanternas trazem orientação horizontal, que deixam o veículo mais encorpado. As rodas de 17 polegadas que equipam o modelo das fotos deverão figurar entre os itens opcionais. O resultado final é um veículo elegante.

O desenho do sedã compacto tem linhas harmônicas - Volkswagen/DivulgaçãoO desenho do sedã compacto tem linhas harmônicas

O modelo tem distância entre-eixos de 2,56m (9cm a mais que o do Polo), o que lhe garante um excelente espaço também no banco traseiro. O passageiro central perde um pouco de conforto devido ao túnel do assoalho elevado e a estrutura do console central. As saídas traseiras do ar-condicionado estão disponíveis apenas nas versões mais sofisticadas. O porta-malas tem bom espaço, com volume de 521 litros.

Painel de instrumentos digital e central multimídia com tela de 8 polegadas - Volkswagen/DivulgaçãoPainel de instrumentos digital e central multimídia com tela de 8 polegadas


MOTORES
 No Brasil, o Virtus terá duas motorizações: 1.0 TSI, com até 128cv de potência e 20,4kgfm de torque, sempre com câmbio automático de seis marchas; e 1.6 MSI, com até 117cv e 16,5kgfm, com câmbio manual. Equipado com o motor 1.0 turbo, o sedã acelera até os 100km/h em 9,9 segundos e atinge velocidade máxima de 194km/h (com etanol). O novo sedã foi construído sobre a plataforma modular MQB A0, que deve permitir que alcance as boas performances dinâmicas e de segurança do Polo, além de um bom pacote de conteúdo.

Espaço no banco traseiro é bom, mas console atrapalha quem senta no meio - Volkswagen/DivulgaçãoEspaço no banco traseiro é bom, mas console atrapalha quem senta no meio

INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL O Virtus marca a estreia do “manual cognitivo”, interface que usa a plataforma IBM Watson para responder dúvidas sobre o veículo. Com ele é possível fazer perguntas, por texto ou voz, e obter um passo a passo de como solucionar várias questões. Além disso, o Virtus deve manter todo o conteúdo diferenciado do Polo – como painel de instrumentos digital, sistema multimídia com tela tátil de oito polegadas, múltiplos airbags, controles de tração e estabilidade, partida e acesso ao veículo sem o uso de chave (presencial) e farol alto com ajuste automático de intensidade.

Lanternas traseiras têm desenho horizontal, compondo bem o conjunto - Volkswagen/DivulgaçãoLanternas traseiras têm desenho horizontal, compondo bem o conjunto

Mas, oficialmente, ainda não foram revelados os pacotes de conteúdo e os preços das versões. Porém, assim como o Polo, espera-se por valores competitivos (para o mercado brasileiro!), entre R$ 65 mil e R$ 80 mil. O Virtus chega ao mercado apenas em janeiro, mas a marca alemã já começa a marcar o território para tentar se dar bem no embate contra o Fiat Cronos, sedã do Argo, que será lançado em fevereiro de 2018.

* Jornalista viajou a convite da Volkswagen

Modelo tem a linha de cintura suavemente elevada - Volkswagen/DivulgaçãoModelo tem a linha de cintura suavemente elevada
compartilhe:
  • Twitter
  • Facebook

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA