Em Belo Horizonte, maioria dos acidentes de trânsito acontecem na segunda e na sexta

0
1966

Começar a semana bem nem sempre é uma opção possível para quem precisa sair de casa cedo para trabalhar. A segunda-feira já amanhece com trânsito caótico e nitidamente mais intenso. Quando a maratona se aproxima do fim, vem a sexta-feira e o número de carros também parece dobrar nas ruas para aquela tão esperada viagem ou happy hour. Além de um teste de resistência, dirigir nesses dias é mais perigoso. Dos 2.500 acidentes registrados de janeiro a junho deste ano em Belo Horizonte, com motoristas segurados pelo Grupo Banco do Brasil e Mapfre, 32% (812) ocorreram na segunda ou na sexta-feira.

Os dados são de uma pesquisa feita pela própria seguradora, que se coloca como vice-líder no ramo de seguros de automóveis no Brasil, com 15% dos clientes do setor. Segundo os dados, a segunda-feira é o pior dia em termos de acidentes de trânsito. Dos 2.500, 16,18% ocorreram nesse dia. Em seguida vem a sexta-feira, com 15,9%. Os números não surpreendem especialistas nem motoristas, que vivenciam um trânsito mais difícil nesses dois dias da semana.

“A segunda-feira é um dia atípico no trânsito, em que as pessoas vêm do fim de semana e acordam mais tarde. Por isso, em vez de pegar o transporte público, muitos optam pelo carro”, observou Márcio de Aguiar, engenheiro em transportes e professor da Universidade Fundação Mineira de Educação e Cultura (Fumec). A sexta-feira, por sua vez, é o dia de sair com os amigos ou viajar, o que também incentiva o uso do transporte privado. “Há ainda o risco de ter mais gente dirigindo alcoolizada”.

O gerente executivo de sinistro de automóvel do Grupo Banco do Brasil e Mapfre, Rinaldo da Silva, atribui os acidentes a outros fatores também, como a distração, o cansaço após o dia de trabalho e a corrida para chegar em casa. “O estresse decorrente do trabalho pode contribuir. Além disso, são dias em que as pessoas transitam por caminhos rotineiros e tendem a se distrair mais”, disse Silva.

O autônomo Felipe Simão, 27, não escapou dessas armadilhas na semana passada. Ele seguia para a faculdade no bairro Caiçara, na região Noroeste, quando levou uma fechada. “Havia uma fila de carros e um táxi cortou todo mundo na contramão e atingiu meu para-lama. Coisa do nervosismo e da esperteza que a gente vê no trânsito”.

Tráfego

Monitoramento. A BHTrans confirmou que o volume de tráfego é cerca de 10% maior na sexta-feira, em comparação com os demais dias úteis, e que também é quando há mais acidentes.

12

Transporte coletivo ruim causa piora 

Para especialistas, a solução para diminuir o fluxo de veículos e o risco de acidentes no trânsito seria investir em transporte coletivo de qualidade. “Com um sistema ruim, as pessoas saem cada vez mais de carro”, disse Márcio de Aguiar, engenheiro em transportes. Ele destaca que, além dos ônibus, é preciso integrar outras alternativas, como metrô e monotrilho.

A Empresa de Transportes e Trânsito de Belo Horizonte (BHTrans) informou que investiu “substancialmente” na melhoria do transporte com o Move e também considera que o ideal é interligar vários modais, como ônibus e metrô. Declarou ainda que investe na segurança no trânsito com várias campanhas educativas e intervenções, como mais radares.
compartilhe:
  • Twitter
  • Facebook

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA