Hortaliças cultivadas por alunos de escola em BH são servidas na merenda

0
721

Os estudantes da Escola Municipal Maria das Neves, no Bairro São Lucas, região Centro-Sul, estão literalmente colhendo o que plantaram. Com o objetivo de divulgar os benefícios de uma alimentação saudável e sem agrotóxicos, as hortaliças cultivadas na pequena horta, como couve, alface, cebolinha e cenoura, vão parar no prato dos 285 alunos da unidade. A iniciativa faz parte do Programa Nestlé Nutrir Crianças Saudáveis com a Prefeitura de Belo Horizonte e tem como meta a prevenção da obesidade e da desnutrição de crianças e adolescentes, sustentado nos pilares conceituais da nutrição, educação e atividade física.

Horta tem couve, alface e cebolinha – Foto: Divulgação

A plantação da horta na Escola Maria das Neves está sendo coordenada pela professora de Educação Física, Gabriela Vilela Arantes, que, paralelamente, ministra aulas de Artes. Ela conta que conversou bastante na sala com os estudantes sobre os alimentos saudáveis e os que fazem mal. “A ideia principal é a saúde. E para se ter uma boa saúde é preciso uma alimentação saudável. Foi aplicado um questionário e eles mostraram que conhecem bem as verduras. Os próprios alunos colocaram às mãos na massa”, diz. O cultivo fica por conta dos alunos do 6º ano, mas todos os colegas recebem a deliciosa merenda.

Ricardo ajuda alunos a cuidar das hortaliças
Foto: Clésio Giovani

Nascido em Itabirito, interior mineiro, de onde trabalhou na agricultura e depois como auxiliar de cozinha por dez anos, ninguém melhor do que Ricardo Valeriano para ser o artífice do projeto da Maria das Neves, onde já trabalhava como vigilante substituto. “Mostrei para a diretora que aquele espaço poderia ser mais bem aproveitado com uma horta, ela liberou e fui efetivado como responsável. É uma coisa que faço com prazer, principalmente, sabendo que as crianças estão comendo alimentos saudáveis”, pontua.

Alimentos já são servidos na merenda – Foto: Divulgação

Segundo a diretora da Escola Maria das Neves, Fátima Cordeiro, a horta foi replantada no mês de setembro deste ano e as hortaliças estão inseridas no cardápio da escola. “Eles já comeram couve, alface, e isso é muito gratificante. É o resultado de um trabalho iniciado por eles mesmos”, afirma ela. Além da horta, a escola incentiva a alimentação saudável através do Programa de Saúde na Escola (PSE), com o monitor Arthur Honório, por meio de palestras e murais sobre alimentação, campanhas contra o desperdício.

Participação ativa

Plantar horta não é novidade para o estudante Patrick Magalhães, de 12 anos. Ele já viveu essa experiência nas atividades do Programa Escola Integrada. “Gostei muito, tanto que estou aqui plantando novamente. É muito bom a gente produzir a nossa própria alimentação”, diz. Situação semelhante passa o seu colega Rafael Rodrigues. “Não tive dificuldades, porque já havia participado de outra vez. O espaço estava aí e está sendo bem aproveitado”, afirma.

Sílvia Helena prepara as refeições – Foto: Clésio Giovani

Encarregada da cantina, Sílvia Helena Ribeiro, se sente contagiada pela alegria dos alunos quando vão lhe entregar as verduras colhidas na horta como um troféu. Segundo ela, muitos até mudaram o hábito alimentar. “Aqueles que não gostavam de salada, hoje, não abrem mão dela. E o importante que é uma produção sem agrotóxico”, ressalta. A cantineira lamenta não ter um espaço maior para produzir: “mas com cada um contribuindo com um pouquinho, tudo vai certo”.

compartilhe:
  • Twitter
  • Facebook

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA