Aumento da violência na Flórida deixa brasileiros assustados

0
61

Nas últimas semanas, a Flórida experimentou diversos casos de violência. Seja por arma de fogo, por ameaça de bomba ou agressão física, a população já percebe a mudança com relação à segurança nas ruas ou locais públicos.

Só nos últimos 15 dias, diferentes casos foram relatados, como o do corpo encontrado no meio de uma avenida em Pompano Beach, no último dia 10. No sábado, dia 8, um ex-funcionário da academia Equinox Fitness Club, no Merrick Park, em Coral Gables, matou a tiros uma gerente da academia e um personal-trainer e se matou. Poucas horas depois, uma ameaça de bomba fez a polícia evacuar a American Airlines Arena, onde estava prestas a ocorrer uma apresentação da Disney Ice. Além disso, uma pessoa foi esfaqueada após uma briga no dia 6 de abril, no Dolphin Mall, em Sweetwater.

No sábado, 1º de abril, houve uma ameaça de bomba numa escola hebraica, Templo Beth Torah Sha’aray Tzedek, em Pompano Beach. No dia 27 de março, um homem matou a tiros um adulto e deixou outras três pessoas gravemente feridas – sendo duas crianças, dentro de uma casa em Sanford, nos arredores de Orlando. Na manhã do mesmo, a Deerfield Beach High School recebeu ordem de evacuação depois de relatos de uma ameaça de bomba. Todas essas ocorrências estão sendo mais divulgadas ou realmente houve um aumento de violência?

A geógrafa Maria Aparecida Simões, 51 anos, natural de São Paulo, mora em Delray Beach e conta que sua cunhada, uma senhora já de idade avançada e que possui transtorno mental, foi atacada e espancada no dia 15 de março em Worth Lake ao catar butucas de cigarro em frente a uma casa. “Um homem, que tem passagens pela polícia por agressão, a espancou até ela perder a consciência. Ela tinha o costume de fazer isso e não invadiu a propriedade dele como ele alegou. Até hoje ela se encontra internada e com danos cerebrais devido as pancadas”, relata. “Claro que a violência daqui não se compara com a do Brasil, mas ver uma pessoa apanhar como ela apanhou, sem motivo, e por uma pessoa que a lei sabe que é perigosa, eu jamais imaginei”, desabafa a brasileira.

O número de assaltos também tem crescido nos últimos tempos e nem sempre a polícia age de modo eficaz como muitos brasileiros esperam. Mirian Bragança, natural de Tumiritinga (MG), vive há 27 anos na Flórida e afirma que há um tempo vem percebendo o aumento de crimes. A assistente de enfermagem relata que sua cunhada foi assaltada no estacionamento do Costco em North Miami Beach e ela própria teve a bolsa roubada dentro do estacionamento da escola da filha, também em North Miami Beach. “Chamei a polícia, mas demoraram umas duas horas para chegar. Algumas vezes, fazem vista grossa, como a polícia do Brasil”.

Um balanço de crimes na Flórida divulgado pelo site “Neighborhood Scout”, que cruza dados do FBI e do Departamento de Justiça dos EUA, indica um total de 93.626 crimes violentos em um ano em todo o estado – uma média de 4,62 crimes por mil habitantes – e cerca de 570.270 crimes de propriedade, totalizando uma média de 28.13 crimes de propriedade por mil habitantes.

Uso de arma no trânsito cresce na FL

Outro levantamento aponta que mais pessoas estão usando armas para resolver desentendimentos nas estradase mais desses incidentes acontecem na Flórida do que qualquer outro estado, deacordo com o The Trace – organização sem fins lucrativos que analisou dados de 2014 a 2016 coletados pela Gun Violence Archive.

Relatórios de acesso de raiva na estrada mais do que duplicaram na Flórida durante esse período de tempo.

De acordo com o The Trace, 1,7 milhões de pessoas na Flórida possuem autorização para armas escondidas ou permissões para portar armas de fogo.Em 2015, o número era de 1,3 milhão.

O número de incidentes em geral envolvendo armas registrado na Flórida somente este ano foi de 11.426, sendo que 2.946 resultaram em morte e 5.394 pessoas ficaram feridas, segundo dados do Gun Violence Archive do dia 12 de abril.

“Na Flórida os políticos republicanos estão bastante inclinados a aprovar leis que ampliam os direitos de portes de armas após a comoção social causada pelas grandes tragédias, como foi a da boate Pulse em Orlando (12 de junho de 2016) e do aeroporto de Fort Lauderdale (6 de janeiro de 2017)”, aponta Igor M. Pipolo, CEO da Nucleo, Inc e Diretor da SEKURA (EUA) e diretor do Departamento de Segurança da FIESP.

Segundo o diretor, há vários projetos de lei sobre armas de fogo para serem votados na sessão legislativa nos próximos meses e grande maioria pretende expandir os direitos para que as pessoas possam transportar armas de fogo em praticamente todos os lugares.

Estatísticas

Outra análise sobre o crescimento da violência na Flórida traça a estatística de dados sobre a violência de 1999 a 2012 (último ano avaliado) em várias cidades, segundo o site CityRating.

Pompano

A taxa de criminalidade em Pompano Beach para 2017 deverá ser maior do que em 2012. Em 2012, a taxa de criminalidade violenta na cidade foi maior do que a taxa no estado, de 111,29%; e a taxa de crime de propriedade foi maior do que a taxa no estado, 65,27%.

Fort Lauderdale

Em Fort Lauderdale, as estatísticas apontam queda no crime com base em dados de 14 anos. Seguindo os últimos dados, a taxa de criminalidade em Fort Lauderdale para 2017 deverá ser menor do que em 2012.

Porém, a taxa de crimes violentos da cidade para Fort Lauderdale em 2012 era mais elevada que a média nacional de 133.47% e mais alta que a do estado, de 85,45%; e a taxa de crime de propriedade era mais alta do que a taxa nacional de 104.72% e mais alta que a média do estado, de 78,63%.

Miami

De acordo com as estatísticas, em Miami a taxa de criminalidade para 2017 deverá ser menor do que em 2012. A taxa de criminalidade violenta em 2012 foi maior do que média nacional, de 202,94%.

Em 2012, a taxa de crimes violentos na cidade em Miami foi maior do que a taxa de crimes violentos na Flórida em 140,63% e a taxa de crimes contra a propriedade da cidade em Miami foi maior do que a taxa de crimes de propriedade na Flórida de 64,7%.

Deerfield Beach

A taxa de criminalidade em Deerfield Beach para 2017 deverá ser maior do que em 2012. A taxa de crime violento em 2012 foi maior do que a taxa de criminalidade violenta nacional média de 20,17% e a taxa de crime de propriedade foi maior do que a média nacional de 11,3%.

Orlando

Em Orlando a taxa de criminalidade para 2017 está em queda e deverá ser menor do que em 2012. A taxa de crime violento da cidade para Orlando em 2012 foi maior do que a taxa de crime violento nacional média de 162,97% e a taxa de crime de propriedade da cidade em Orlando foi maior do que a taxa de crimes de propriedade nacional média de 131,83%.

Em 2012, a taxa de crimes violentos da cidade em Orlando foi maior do que a taxa de crimes violentos na Flórida em 108,89% e a taxa de criminalidade de propriedade da cidade em Orlando foi maior do que a taxa de criminalidade de propriedade na Flórida em 102,29%.

Tampa

A taxa de criminalidade em Tampa para 2017 deverá ser menor do que em 2012, quando a cidade teve taxa maior do que média nacional de 59,32% e a taxa de criminalidade de propriedade da cidade em Tampa foi maior do que a taxa de crimes de propriedade nacional média, mas apenas 0,02%.

Em 2012, a taxa de criminalidade violenta da cidade em Tampa foi maior do que a taxa de crimes violentos na Flórida em 26,55% e a taxa de criminalidade de propriedade da cidade em Tampa foi menor do que a taxa de criminalidade na Flórida 12,72%.

Jacksonville

A taxa de criminalidade em Jacksonville para 2017 deverá ser menor do que em 2012. A taxa de crime violento da cidade para Jacksonville em 2012 era mais elevada do que a média nacional de crime violento de 59.55% e a taxa de crime de propriedade de cidade em Jacksonville era mais alta do que a taxa de crime de propriedade nacional média de 44.59%.

Em 2012, a taxa de criminalidade violenta na cidade de Jacksonville foi maior do que a taxa de criminalidade violenta na Flórida em 26,73% e a taxa de criminalidade da propriedade da cidade em Jacksonville foi maior do que a taxa de crime de propriedade na Flórida por 26,17%.

POR: BERNARDO ZEYMER SOARES

compartilhe:
  • Twitter
  • Facebook

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA